Conquistas na Vida Sentimental
    Abraão já tinha todas as conquistas pessoais de que precisava. Contudo, a vida de alguém que tem filhos não se encerra nela mesma, pois é projetada nos filhos. Isaque, filho de Abraão, tinha quarenta anos e ainda não estava casado e, assim como os pais de hoje, Abraão sabia da relevância das decisões relativas à vida afetiva de seu filho. Diante disso, o patriarca toma uma série de posicionamentos que visavam à felicidade sentimental de seu filho. Embora aquela cultura fosse diferente da nossa, princípios divinos precisam ser sempre aplicados, se é que queremos obter conquistas na vida sentimental. Ao refletirmos sobre este tema, vale lembrar que vida sentimental é algo pertinente a todos. Mesmo aqueles que, porventura tenham a decisão de permanecerem sós, têm sentimentos que precisam permanecer saudáveis.

Coisas inegociáveis.
a) “[...] não buscará mulher para meu filho entre as filhas dos cananeus... buscará entre os meus parentes uma mulher para o meu filho Isaque.” (v. 3, 4).
b) Os cananeus eram adeptos de práticas religiosas idólatras e malignas que destoavam completamente dos princípios que Abraão ensinara a Isaque. Abraão não abria mão dos valores espirituais, morais e éticos, pois sabia que isso afetaria diretamente os relacionamentos.
c) Não há pessoas perfeitas para se construir relacionamentos, contudo é preciso pontuar as coisas que são inegociáveis. A vida sentimental de todo o cristão, independente do estado civil, deve seguir os princípios de Deus de maneira inegociável. Antes do namoro, tudo o que é inegociável precisa ser pontuado. Nos casamentos é preciso lutar para que os princípios divinos estejam presentes. Quando se está só, igualmente, não se pode deixar a orientação do Todo-Poderoso.  
Os propósitos de Deus.
a) “Devo então levar teu filho de volta à terra de onde vieste? [...]” (v. 5). “Não deixe meu filho voltar para lá.” (v. 6). “O Senhor,... prometeu sob juramento que à minha descendência daria esta terra [...]” (v.7).
b) Abraão diz a seu servo que a moça que fosse casar com seu filho deveria vir para a terra dele, e não Isaque ir a terra dela, pois Deus já havia revelado que a terra onde eles moravam era herança deles.
c) Precisamos perceber quais são os propósitos de Deus para a nossa vida e, quando os conhecemos, não abramos mão deles. Isso se aplica à vida sentimental, assim como em outras áreas da vida.
 
A oração.
a) “Então orou: 'Senhor, Deus do meu senhor Abraão, dá-me neste dia bom êxito e seja bondoso com o meu senhor Abraão.” (v. 12).
b) Percebe-se que toda a história da vida sentimental de Isaque e Rebeca foi direcionada pela oração. O servo de Abraão levou sua missão em oração. A oração genuína revela dependência de Deus, permite que Ele seja o Senhor da situação e traz todas as respostas necessárias.
c) A oração é um dos recursos mais maravilhosos que temos à nossa disposição. Felizes são aqueles que dela fazem uso. Buscar direção de Deus em oração trará conquistas, também, na vida sentimental.
 
      Pontuemos todas as coisas que nunca devem ser negociadas, não nos desviemos dos propósitos de Deus e vivamos em oração. Esses são princípios que nos levarão às conquistas sentimentais e também nas outras área.

Pastor Silas Zdrojewski
Encontros de Vida
 
Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular
Rua Alberto Folloni, 143 · Juvevê · 80530-300 · 
Curitiba · Paraná · Brasil · 41.3151.5100
facebook · twitter · youtube · pinterest  · linkedin · google+ · grooveshark · issuu
 
 
Historymakers