Oração em difícil situação

Jn 1. 17 – 2. 10

   
Jonas, por ter desobedecido a Deus, embarcando para Társis e não indo para Nínive levar a mensagem de Deus, coloca todos os que estão com ele naquele barco em uma terrível situação. O profeta reconhece a sua culpa e manda que o lancem ao mar. Quando isso acontece, Deus faz com que um grande peixe engula Jonas. O fato de Jonas permanecer vivo dentro do peixe é um milagre de Deus. Jesus confirmou este milagre e usou-o para falar de Sua morte e ressurreição ao terceiro dia (Mt 12. 39, 40). Jonas orou a partir de um lugar incomum e em uma situação muito complicada, contudo Deus o ouviu e respondeu a ele. A despeito do lugar e situação em que estejamos, Deus deseja ouvir a nossa oração e nos responder.



O clamor.

a) "Dentro do peixe, Jonas orou ao Senhor, o seu Deus. E disse: 'Em meu desespero clamei ao Senhor [...]"' (v. 1, 2).

b) 
Jonas clamou de um lugar em que homem algum poderia ouvi-lo ou ajudá-lo; de um lugar para onde o pecado o levara; de um lugar que só Deus poderia ouvi-lo e de lá tirá-lo.  Deus é um Deus de amor e misericórdia. A Bíblia diz: "[...] um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás." (Sl 51. 17). Para ser ouvido e respondido por Deus, o mais importante não é o lugar ou a situação, mas o coração.

c) 
Se o nosso coração estiver soberbo e resistente, não seremos respondidos em nossas orações. Pedro nos diz que Deus se opõe aos orgulhosos, mas dá graça aos humildes (I Pd 5. 5). Mesmo que os homens não nos ouçam e nem nos ajudem, Deus pode nos ouvir em qualquer lugar e situação. Olhemos para Deus e Sua graça, mas também verifiquemos como está o nosso coração.


A consciência do pecado e da separação de Deus.

a) "Jogaste-me nas profundezas [...]". (v. 3). "Fui expulso da tua presença [...]" (v.4). O pecado nos separa de Deus (Is 59. 1, 2). Jonas disse que o abismo o cercara e que as algas marinhas se enrolaram na cabeça dele (v. 5).

b) O profeta tinha consciência de que estava distante de Deus por causa de seu pecado. Ele vivia as consequências do seu próprio pecado, estava afundado por causa dele e literalmente enrolado.

c) O pecado nos separa de Deus, faz com que afundemos em muitos abismos, nos deixa com a cabeça e a vida enrolada. Assim como Jonas, reconheçamos nossos pecados e voltemo-nos para Deus; então, poderemos contemplá-lo e receber Seu socorro "[...] olharei de novo para o teu santo templo." (v. 4). Nosso pecado nunca é maior do que a graça de Deus; se há arrependimento e confissão, Deus nos ouve.


Resposta da oração.

a) "[...] ouviste o meu clamor.” (v. 2). “[...] a minha oração subiu a ti, ao teu santo templo." (v. 7). "E o Senhor deu ordem ao peixe, e ele vomitou Jonas em terra firme." (v. 10).

b) Deus respondeu a oração de Jonas, que saiu do ventre do peixe “meio sujinho” e com um cheirinho não muito agradável, mas o importante é que saiu. Deus tirou Jonas de um lugar terrível e o pôs, novamente, em terra firme.

c) O nosso Deus ouve o nosso clamor. Talvez estejamos, de alguma maneira, como Jonas ou como o salmista que disse que estava em um poço de destruição, em um atoleiro de lama (Sl 40. 2), mas como eles, com a graça divina, podemos sair dessas situações como esses personagens bíblicos saíram. Confiemos que Deus responderá a nossa oração.


Conclusão


    Mesmo que estejamos a orar em uma difícil situação, clamemos a Deus, reconheçamos os nossos pecados e confiemos que Ele, pela Sua graça, irá nos responder.


Pr. Silas Zdrojewski

 
Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular
Rua Alberto Folloni, 143 · Juvevê · 80530-300 · 
Curitiba · Paraná · Brasil · 41.3151.5100
facebook · twitter · youtube · pinterest  · linkedin · google+ · grooveshark · issuu
 
 
Historymakers